Atire a primeira pedra quem nunca ficou com dúvidas em relação à escolha da carreira ou ao futuro profissional. Não tem como: é natural – eu mesma troquei de profissão umas dez vezes antes de decidir pelo jornalismo. E, o que eu posso dizer, é que entre os dias de desespero e os de vontade de desistir de tudo, chega a necessidade de tomar uma atitude.

Independentemente se for mudar de área, desenvolver novas habilidades ou abrir o seu próprio negócio, é preciso dar um salto. E por que este salto não pode ser investir em um ramo que está em constante crescimento? Por exemplo, o da programação.

O mercado mudou, e o ensino também.

Antigamente, tornar-se um desenvolvedor web era um caminho muito mais árduo. Você precisava fazer uma graduação, que demanda bastante tempo e investimento, ou aprender sozinho, que requer muita disciplina e autodidatismo. Hoje, existem os bootcamps. Eles proporcionam um ótimo começo para mudança de carreira e em um curto período de tempo.

Além disso, tendem a ser adaptados às demandas reais do mercado e possuem um professor para você pedir ajuda quando não souber como resolver um problema. Ou seja: é um bom modelo para aprender as linguagens web do momento de forma rápida e com uma metodologia de ensino focada na prática.

Se você quer entender como funciona um bootcamp, confira abaixo e veja como é possível se aperfeiçoar profissionalmente (e até mudar toda sua vida) com um bootcamp de desenvolvimento web.

Você dentro de um bootcamp

Por exemplo, na Ironhack, escola de desenvolvimento web com presença global, o bootcamp é dividido em um prework online, com 60 horas de conteúdo sobre desenvolvimento web com os princípios da programação em Javascript, HTML e CSS; e presencialmente em três módulos de curso, cada um com um projeto final, totalizando 360 horas em nove semanas de aula; e, por fim, a semana da contratação, em que as empresas parceiras conhecem os alunos em um formato de recrutamento super ágil.

Quando o assunto é o dia a dia das aulas, o primeiro é tranquilo, pois as pessoas o utilizam para se conhecer. Com o passar do tempo, entra-se em uma rotina sem muita moleza: bastante trabalho, muito conteúdo e aprendizados novos a todo o momento. Para ter ideia, um dia típico se inicia às 9h e só acaba às 18h, contemplando revisão dos exercícios, dois blocos de aula e programação em dupla e individual.

Ao final do curso, você apresenta o projeto final em que tentar unir tudo o que aprendeu: HTML, CSS, JavaScript, jQuery, MongoDB, Express.js, Handlebars, React e mais. E é neste momento que você deverá se sentir incrivelmente satisfeito. Afinal, tudo é muito intenso, mas é melhor do que ter um bootcamp fácil e sentir que você não conseguiu sair com nada muito significativo.

Além disso, ao término do bootcamp, você terá um novo mundo de oportunidades à sua frente. Em breve, teremos menos demanda por motoristas de ônibus ou táxi, funcionários de suporte ao cliente ou tradutores, por exemplo. No entanto, precisaremos de mais pessoas para construir o software para automatizar esses trabalhos. E você pode ser uma delas.

A gama de empregos que existem no mundo da tecnologia é gigantesca – e, claro, ainda pode abrir o seu próprio negócio. Enfim, o fato é que o mercado de trabalho nessa área é promissor e você terá potencial para crescer tanto pessoalmente, como profissionalmente. Gostou e quer embarcar nessa mudança? Então, confira nosso Guia do Profissional e tire todas as suas dúvidas!